Please enable JS

Blog

cloud

Computação em nuvem: o que esperar em 2019 e nos anos seguintes

18 de dezembro de 2018 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO

A Cloud Computing é agora vista em toda a organização como uma oportunidade estratégica. A opinião antiquada de que a nuvem simplesmente reduz os custos foi ofuscada pelos principais benefícios para os negócios, disseram CIOs e especialistas do setor à IDG Connect.

Líderes de tecnologia e de negócios em serviços financeiros, viagens, setor público e provedores de serviços de próxima geração concordam com os analistas David Mitchell Smith, do Gartner, e Paul Miller, da Forrester, que a próxima década de adoção da computação em nuvem será caracterizada pelo aumento no ritmo e na agilidade das empresas no uso da tecnologia através de novos recursos.

No final de 2017, a Forrester descobriu que, globalmente, as organizações estavam usando apenas a nuvem para 50% da provisão de TI. À medida que 2018 se aproxima do fim, Paul Miller, da Forrester, diz que houve um pequeno aumento, que será publicado em um relatório ainda este ano. (A análise da Forrester não incluiu ferramentas SaaS – Software-as-a-Service)

“A nuvem tornou-se dominante e tornou-se parte do tecido, em vez de algo no qual as pessoas apenas prestavam atenção”, diz David Mitchell Smith, analista do Gartner. “Para maximizar o valor dos investimentos na nuvem, os CIOs devem educar seus CEOs e diretores sobre a necessidade de investir no modelo como um estilo de computação que gera maior velocidade, agilidade e inovação”.

“Não há um modelo definido de adoção”, diz o CIO da Polícia Metropolitana Angus McCallum. Ele, que está no cargo desde janeiro de 2016, acrescenta que, como CIO, você não pode prever de onde virão as taxas de adoção. “Às vezes os velhos gostam dos novos métodos e modelos”, diz ele.

Mudando modelos
Um aumento no uso de ferramentas SaaS (Software-as-a-Service, software como serviço) está acelerando a taxa de uso da Cloud Computing nas empresas. A pesquisa da Forrester concentrou-se na nuvem como plataforma, fornecendo à empresa Infraestrutura como serviço (IaaS) e Plataforma como serviço (PaaS). Mas Miller, da Forrester, diz que a ascensão do SaaS e, em particular, implementações iterativas e bem sucedidas, estão contribuído muito para o crescimento geral de adoção da nuvem nas organizações.

“Estamos vendo uma maior profundidade de investimento. Eles passaram pelas devidas fases diligência e dúvidas quanto à segurança e descobriram o que está envolvido no DevOps, no uso de containers e nas habilidades que a organização exige.

“Há um relacionamento interessante de cortesia na mudança para PaaS e IaaS, se você também estiver usando SaaS. Você acessará os dados de duas direções diferentes, por exemplo, usando o Workday RH hospedado na Amazon Web Services (AWS)”, diz Miller. Agora estão olhando para perceber os benefícios de uma maior integração das plataformas de nuvem. “Pode haver uma capacidade de reduzir os custos de transferência de dados.”

Como o SaaS complementa o IaaS e o PaaS, o poder e a flexibilidade da Cloud também permitem que os CIOs explorem a nova onda de tecnologias e seu impacto estratégico nas organizações. Simon Evans, CTO com especialidade em implementação de nuvem, está vendo CIOs em uma ampla variedade de setores adotarem ou planejarem o uso da Edge Computing: “Edge é sinônimo de localização – onde você coloca as coisas para complementar a computação em nuvem”, diz ele. Diz respeito a dispositivos conectados aumentando as oportunidades para as organizações.

Evans diz que a adoção do Edge é devida, em parte, ao entendimento das organizações de que as estratégias precisam ser “cloud first” e, como resultado, a empresa de cloud Amido está vendo as ferramentas nativas da nuvem aumentando em todas as organizações.

O aumento da Edge Computing aumentará os níveis de coleta de dados das organizações. Stuart Birrell, CIO do aeroporto de Heathrow, vê a nuvem como essencial para permitir que o maior e mais movimentado aeroporto do Reino Unido administre os níveis de dados que está criando, mas, mais importante, descubra insights a partir dos dados. Birrell diz que o Heathrow está usando a plataforma de dados do Microsoft Azure como um “hub de dados” para o aeroporto.

“Colocamos vários serviços de negócios e os colocamos no hub de dados do Azure. Em seguida, usamos as ferramentas do Microsoft PowerBI. É preciso muitas etapas para colocar as pessoas em seus voos”, diz ele sobre como o Heathrow está usando seus níveis de dados e ferramentas baseadas em equipamentos para garantir que os passageiros cujos voos estão atrasados sejam remarcadas para novas viagens.

O Heathrow também adotou ferramentas SaaS, como Microsoft Office 365 e Microsoft PowerApps, para permitir que funcionários da linha de frente acessem ferramentas básicas de produtividade onde quer que estejam e, ainda, desenvolver aplicativos usando o repositório de dados para melhorar seus processos de negócios.

Birrell faz o backup das descobertas da Forrester. O CIO do aeroporto tem plataformas consolidadas, o que, segundo ele, significa que o negócio baseado em Londres pode “fazer mais com os dados” que possui: “O que funciona é ter os dados em um único lugar para ajudar a tomar decisões”.

Olhando para frente
Evans, da Amido, acredita que essa adoção da computação em nuvem, que o Gartner descreve como a “segunda década da nuvem”, verá: “Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning (ML) ganham força.” As duas tecnologias estão obtendo uma grande quantidade de cobertura, debate e publicidade, mas Evans diz que essas tecnologias, assim como a Edge Computing, estão se tornando uma realidade estratégica para os CIOs. As organizações que precisam entender os dados estruturados e não estruturados para ajudar na tomada de decisões e na análise de tendências estão usando o SO e o ML que os serviços em nuvem oferecem para iniciar a adoção da IA e do ML.

Evans prevê que “2019 continuará a ver esta tendência expandir-se, com as empresas mainstream construindo soluções IA como parte de suas estratégias digitais. A maior aceitação será quando as empresas que estão usando IA tirarem mais tarefas domésticas de seres humanos e aplicarem um nível de inteligência ainda não tão alto aos processos de negócios”.

Evans também está vendo as organizações amadurecerem no uso da nuvem, passando de um “provedor de serviços de nuvem” com serviços SaaS adicionais para “muitos ambientes híbridos e multi-cloud onde os clientes usam várias nuvens primárias dos grandes fornecedores: AWS, Google Cloud ou Microsoft Azure.”

Evans acredita que o benefício dessa diversidade é que ela é “mais fácil de fazer, graças a microsserviços, ferramentas de containers e provedores de serviços em nuvem abraçando a padronização. Em parte porque as pessoas estão percebendo que não querem ficar presas a um mesmo provedor de nuvem, como chegou a acontecer nos últimos cinco anos”.

Mark Collins concorda com analistas que os casos de uso para computação em nuvem aumentam o tempo todo. “A jornada para a nuvem continua e as opções são bastante significativas”, diz ele.

Fonte: Portnet

Posts relacionados

Vulnerabilidade RDP afeta todas as versões do Windows. Atualize o seu sistema!

24 de maio de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO
notebook

Entenda como manter a segurança do seu site

23 de maio de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO
celular

Sete coisas que você não deve fazer no celular Android

22 de maio de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO
notebook

Erro na restauração do Windows 10 é encontrado e alertado pela própria Microsoft

21 de maio de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO

Dados mostram o crescimento impressionante da internet em 10 anos

20 de maio de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO

Conheça o Translatotron, o tradutor capaz de imitar a voz humana

17 de maio de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO

abc