Please enable JS

Blog

Entenda por que celulares ficam mais lentos com o tempo

8 de abril de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO

Todo usuário de smartphone já deve ter notado que, com o passar do tempo, o desempenho do celular cai cada vez mais. Dispositivos mais caros e sofisticados são menos afetados do que aqueles mais modestos, mas em alguma medida todos se tornam mais lentos conforme envelhecem. O problema, que atinge tanto celulares Android quanto iPhones, pode ter vários motivos, como as atualizações do sistema operacional e dos aplicativos, a degradação da memória e até a percepção das pessoas. Entenda, a seguir, o que está por trás desse fenômeno e o que você pode fazer para diminuir seus efeitos.

Atualizações de sistema

Quando um celular é lançado, ele traz a versão do Android ou iOS mais atual disponível e segue recebendo atualizações por alguns anos, em média. Os sistemas são desenvolvidos levando em consideração as especificações dos smartphones do momento, ou seja, são feitos para rodar sem problemas nesses dispositivos. Mas o tempo passa e, naturalmente, os processadores, a memória RAM, o armazenamento e outros componentes do hardware melhoram. Os novos sistemas operacionais, então, acompanham os avanços.

Isso tudo é bem rápido no mundo da tecnologia. Assim, o dono de um aparelho lançado em 2017, por exemplo, ao fazer um upgrade de software em 2019, provavelmente sentirá que o celular não tem a mesma experiência fluida de uso que tinha no início. Sistemas mais recentes exigem mais poder de processamento e não há muito o que fazer a respeito.

Uma opção é manter o celular com uma versão mais antiga do sistema. A alternativa, porém, não é recomendável, pois pode trazer incompatibilidade com apps e até mesmo problemas de segurança.

Atualizações de aplicativos

Da mesma forma que os sistemas são atualizados e ficam mais pesados, os apps também, e ainda com maior frequência. Desenvolvedores estão o tempo todo aperfeiçoando, acrescentando e modificando funções. Dispositivos com hardware mais moderno só tem a ganhar, mas enquanto isso, os mais velhos podem sofrer.

Aos poucos, conforme os apps evoluem, vão deixando para trás smartphones antigos. Além da lentidão, uma funcionalidade pode parar, depois outra, até que um dia não haverá mais suporte para o celular. É um processo gradual, mas em algum momento ele se tornará obsoleto, como é o caso recente do WhatsApp no iPhone 4.

Em alguns casos, é possível retardar o problema utilizando versões mais antigas dos aplicativos. Em outros, o usuário pode recorrer à versão mais leve de um mesmo app, como o Facebook Lite, o Uber Lite ou o YouTube Go.

Apps em segundo plano

Outro razão é a quantidade de aplicativos instalados. Um smartphone novo vem com poucos deles, mas o tempo vai passando, as necessidades vão aparecendo e mais e mais apps são baixados e usados – muitos dos quais se mantêm ativos em segundo plano. Redes sociais estão sempre verificando a chegada de novidades, editores online de documentos estão sempre fazendo sincronização, mensageiros estão sempre aguardando mensagens e por aí vai. Wallpapers animados e widgets na tela principal também estão o tempo todo em operação.

Ter um número maior de aplicações com o passar dos meses e anos é natural, porém, significa um maior consumo de processador e memória RAM e, consequentemente, uma redução de performance. Para amenizar o problema, desinstale apps pouco utilizados, use um papel de parede estático e evite widgets. Identifique quais aplicativos estão drenando mais bateria, o que é um indicativo de alta demanda de processamento, e restrinja a execução deles em segundo plano. Fuja dos chamados “task killers”, que prometem otimizar o funcionamento do telefone, mas na realidade costumam piorar a situação.

Desgaste da memória

A crescente ocupação do espaço de armazenamento é mais um efeito inevitável do tempo em um celular. São cada vez mais apps, fotos, vídeos, jogos e documentos. Os dispositivos móveis, em geral, guardam arquivos em memória flash, um componente que fica mais lento quando está muito cheio, o que afeta o desempenho do smartphone como um todo. Portanto, é importante não se aproximar muito do limite da memória, deixando um pouco de espaço livre para o sistema rodar mais facilmente.

Para isso, apague aplicativos dispensáveis, arquivos temporários e outros itens desnecessários. No Android, o app Files Go pode ajudar na limpeza. Faça o backup de fotos e vídeos na nuvem e apague-os do aparelho. O Google Fotos é uma ótima alternativa para a tarefa, tanto no Android quanto no iOS.

Por outro lado, no entanto, a memória flash sofre degradação com o uso. Ela tem um limite de ciclos de gravação de dados. Quando o teto é atingido, a peça está muito desgastada e tem sua performance impactada. Nesses casos, não há muito o que fazer – o processo é contínuo e fundamental, afinal, a função do armazenamento é gravar informações.

Percepção

Mesmo que seu celular não fique realmente mais lento com o tempo, um usuário pode ter essa percepção devido ao contexto: ao ver lançamentos mais ágeis e poderosos, é possível que ele fique com a falsa impressão de que seu próprio smartphone piorou. É o que sugerem especialistas, segundo o site especializado Lifehacker.

Fonte: Techtudo

Posts relacionados

iphone

iOS 13 | Conheça os recursos que chegam com a nova atualização

18 de junho de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO
notebook

Navegador Microsoft Edge vai bloquear anúncios considerados invasivos

17 de junho de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO
celular

Play Store aumenta prazo de reembolso de 15 minutos para 4 dias

14 de junho de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO
celular-seguranca

Por que você precisa de segurança completa de acesso wireless e móvel

13 de junho de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO
whatsapp

WhatsApp pode processar e banir quem enviar Spam

12 de junho de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO
seguranca

Como se proteger contra ataques de ransomware

11 de junho de 2019 / Tecnologia / por Comunicação Krypton BPO

abc