Please enable JS

Blog

RH e o equilíbrio emocional: a importância de olhar para si

21 de maio de 2020 / Consultoria / por Comunicação Krypton BPO

Como você encara suas emoções em meio à pandemia?

O ano de 2020 tem trazido uma enxurrada de mudanças na vida de pessoas do mundo todo. A pandemia do coronavírus fez com que parássemos rapidamente e, ao mesmo tempo, nos forçou a viver um “novo” momento em que sentimentos e razão disputam nosso controle.

Se não bastasse toda essa mudança repentina no aspecto pessoal, nosso trabalho também é afetado. A área de Recursos Humanos, talvez, seja uma das mais impactadas devido a uma grande logística que muitas empresas precisaram adotar nas relações de trabalho.

E, em meio a tudo isso, há vidas. Vidas de milhares de pessoas, profissionais, famílias e, claro, do profissional de Recursos Humanos que vive um misto de sentimentos como o medo, nervosismo, angústia, falta de paciência, ansiedade, insegurança, preocupação e incertezas que afetam o bem-estar e sua saúde mental. Então, como manter o equilíbrio emocional?

Equilíbrio emocional: como você encara suas emoções?

Quando falamos em equilíbrio emocional sabemos que nem sempre é possível controlar impulsos e sentimentos. Segundo a psicóloga, isso é natural porque nosso lado emocional do cérebro funciona mais rápido que o lado racional, o que nos torna seres movidos pelas emoções. Mas então, qual a diferença entre alguém que sabe domar esses impulsos e alguém que se deixa dominar por eles?

Um indivíduo emocionalmente inteligente é capaz lidar com as emoções, usufruindo delas para tomar as melhores decisões em qualquer situação. Através desse conhecimento é possível equilibrar a razão e os sentimentos, a fim de neutralizar as emoções negativas e acabar com as crenças limitantes e os comportamentos prejudiciais que temos em nosso dia a dia.

Da mesma forma, as emoções e sentimentos das pessoas ao seu redor também são compreendidas, dando um olhar mais empático em relação às atitudes e reações delas. Segundo Daniel Goleman, especialista e criador dessa área da psicologia, a inteligência emocional é uma habilidade poderosa capaz de conceder a quem a pratica:

 

  • Melhora nas relações interpessoais;
  • Diminuição da ansiedade e do estresse;
  • Aumento da empatia;
  • Maior poder de decisão;
  • Crescimento da produtividade em qualquer atividade;
  • Autoestima elevada às alturas;
  • Mais responsabilidade e comprometimento;
  • Equilíbrio emocional.

Vivemos em meio a um desafio onde nossas emoções estão à flor da pele. Portanto, adquirir autoconhecimento, controle emocional, automotivação e empatia são cruciais para canalizar nossas energias na rotina e nos compromissos que assumimos, mantendo um equilíbrio emocional e preservando nossa saúde mental.

Sabemos que somos seres sociais, e historicamente nos agrupamos por questões de sobrevivência, mas também, de afinidades e afeto.  Mesmo com o distanciamento físico tão necessário neste momento, continuamos sendo seres sociáveis. Por isso, a construção de relacionamentos positivos, ainda que virtuais, é muito importante para acolhimento e preenchimento dessa lacuna em nosso instinto de vida.

Relacionamentos positivos

Como mencionamos anteriormente, todas as relações de trabalho, amizade e família tiveram que se adaptar completamente à nova vivência em distanciamento ou isolamento. A primeira coisa que precisamos entender é que construir relacionamentos positivos vai além de um bom convívio. O maior benefício que podemos tirar de uma vivência positiva é a nossa própria felicidade.

Segundo Martin Seligman, o pai da Psicologia Positiva, “os outros são um antídoto para os momentos ruins e a fórmula mais confiável para os bons momentos”. Isso significa que até mesmo as pessoas com perfis mais autossuficiente precisam de outro individuo para resolver algumas questões, e que a chave para uma vida com mais realizações é a união.

Relacionamentos positivos são ambientes perfeitos para despertar o que há de melhor em nosso interior, e primordialmente o autoconhecimento é peça-chave para conquistar o amadurecimento emocional necessário em qualquer interação.

Contudo, sabemos que não é tão simples quanto parece. Muitas vezes, conflitos internos, crenças limitantes a respeito de si mesmo e dos outros nos fazem buscar desculpas como respostas para os problemas, criando assim relações vazias em conhecimento. Por isso, mais do que nunca, o momento exige adaptabilidade.

Adaptabilidade

Você já parou para pensar o que diferencia as pessoas que se saem bem em qualquer situação daquelas que naufragam ao menor sinal de crise? Sim, a adaptabilidade.

Adaptabilidade é se ajustar às situações novas e encará-las de frente, independentemente das circunstâncias. Essa aptidão de se adequar ao novo ambiente não nasce de um dia para outro, ela precisa ser construída pouco a pouco. Para desenvolvê-la e enfrentar o momento de cabeça erguida, a psicóloga Ana Paula deu cinco dicas práticas:

1 – Transforme as mudanças em oportunidades

Nem sempre as coisas seguem como desejamos, por isso, procure encarar essas novidades de frente, não como obstáculos, mas como oportunidades para evoluir cada dia mais. Você acabou não recebendo a promoção tão desejada? Pare, respire fundo e utilize esse tempo para aprimorar ainda mais suas habilidades para alcançar novas conquistas.

2 – Seja positivo

Comece a criar uma visão mais otimista de tudo que está ao seu redor. Quando você é mais positivo, passa a focar no que lhe faz bem e isso, consequentemente, lhe dará mais tranquilidade para lidar com surpresas e se adaptar melhor a elas.

3 – Abrace o novo

As coisas não aconteceram com você planejou? Fique tranquilo e dê uma chance de que isso seja positivo para você. Em vez de relutar, abrace a situação e tente entender o que ela pode proporcionar para você.

4 – Aprenda com você mesmo

Se tem alguém que pode lhe ensinar valiosas lições sobre ações e atitudes é você mesmo! Por isso, analise seu comportamento do passado, presente e se projete para o futuro. Aprenda com seus erros, acertos e descubra que você já acabou utilizando a adaptabilidade muitas vezes e nem se deu conta.

5 – Trabalhe a autoconfiança

Tudo saiu fora de controle? Confie em si mesmo. Você é um indivíduo com total capacidade e talento para virar o jogo e transformar o ocorrido para algo mais positivo e saudável. Então, reconheça seus defeitos, mas também suas qualidades, afinal, foram elas que lhe permitiram chegar até aqui.

Mas, afinal, o que é equilíbrio emocional?

Bem, se você chegou até aqui é porque esse assunto é realmente importante para você. Que bom! Manter o equilíbrio emocional é o primeiro passo para sairmos desse “novo” ainda melhores.

Podemos considerar o equilíbrio emocional como um estado em que estamos plenamente conscientes de nossas emoções, com foco no presente e separando reações racionais das reações emocionais de forma a ter a capacidade de reagir de maneira adequada às situações e com coerência com nós mesmos. Para isso, é possível criarmos estímulos para desenvolver nosso equilíbrio emocional, com técnicas de respiração, pequenas mudanças diárias e até ajudar ao próximo.

Fonte: Blog da RH

Imagem: Cartão de visita foto criado por rawpixel.com – br.freepik.com

Posts relacionados

Por que todo assessor de investimento deveria tirar a certificação CFP

2 de junho de 2020 / Consultoria / por Comunicação Krypton BPO

Compliance se torna aliado das empresas durante crise da COVID-19

1 de junho de 2020 / Consultoria / por Comunicação Krypton BPO

Criar uma equipe de alta performance: quais os segredos?

1 de junho de 2020 / Consultoria / por Comunicação Krypton BPO

Como investir no exterior: com ou sem hedge cambial?

29 de maio de 2020 / Consultoria / por Comunicação Krypton BPO

Habilidades de negociação devem ser adaptadas para manter as vendas durante a pandemia

28 de maio de 2020 / Consultoria / por Comunicação Krypton BPO

6 dicas de segurança financeira e jurídica diante das novas MPs

27 de maio de 2020 / Consultoria / por Comunicação Krypton BPO

abc